blog-1

Dores na região Lombar

Estudos indicam que pacientes com dor lombar indicados pelo médico a fazerem "fisioterapia" recebem orientações passivas de tratamento, enquanto se o paciente procurar diretamente um Fisioterapeuta (sem nenhum encaminhamento médico), irá receber orientações mais ativas de tratamento.

Link do estudo - http://www.degruyter.com/…/fhep-2015-0026/fhep-2015-0026.xml

E aí, quem está certo? Vamos raciocinar juntos?! Primeiro, quem estuda as ciências da fisioterapia desde avaliação a tratamento é o Fisioterapeuta e não o Médico. Concordam? Então a escolha pelo tratamento fisioterapêutico ideal para o paciente é feito pelo Fisioterapeuta.

Segundo, se o paciente precisa de fisioterapia, nada mais óbvio que procure um profissional da área, ou seja, um Fisioterapeuta.

Terceiro, quando um paciente vem até mim e eu avalio que é um problema médico e não fisioterapêutico, eu encaminho a um Médico, correto? Seria legal eu indicar o que o médico tem que fazer? Qual tratamento médico será feito? Lógico que não, primeiro que eu não estudei para isso, segundo que é antiético.

Estando claro isso, vamos começar.

A dor lombar (lombalgia) e a dor lombar associada à dor nos membros inferiores (lombociatalgia) são as principais causas de incapacidade e faltas no trabalho no Brasil. Nos últimos 20 anos o número de pessoas com essas características aumentaram 40% em todo mundo e 60% no Brasil. Se não tratada corretamente, as lombalgias podem se cronificar e o paciente tem grandes chances de ser um portador de dor lombar crônica inespecífica. Várias são as causas para cronificação da dor como crenças, catastrofização e repouso. Por isso a consulta a um Profissional atualizado no assunto se faz muito importante para a melhora. Lembrando que o papel de qualquer Profissional da Saúde não é "carregar o paciente no colo" e sim "caminhar junto com ele de mãos dadas" em busca do Sucesso no tratamento. Estando claro isso, lhes apresento algumas possibilidades de origem de dor lombar.

Diversas situações podem causar problemas nas Vértebras Lombares desde mals hábitos alimentares, mals hábitos posturais, má ergonomia no trabalho, traumas e genética. No que diz respeito a genética, estudos apontam que temos 30% dessa herança e que somos responsáveis pelos outros 70%. Ou seja, podemos mudar nosso destino com nossos hábitos (alimentação, humor, atividade física...). As vértebras lombares são responsáveis pela inervação de todas as estruturas na região abdominal, lombar e dos membros inferiores (ossos, músculos, vasos e vísceras). Problemas no disco intervertebral como hérnias de disco podem causar compressão neurológica (dos nervos) e gerar dores locais e que irradiam para as pernas. Outros problemas na região que podem causar tal compressão nervosa são os osteófitos, as degenerações articulares e as espondiloartroses. Uma posição antálgica (inclinação da região lombar com compensação do corpo inteiro) pode ser adotada automaticamente pelo paciente para tentar sentir menos dor.

Os tipos de dores são: Dor que piora com certos tipos de movimento como alongar as pernas, dobrar a coluna para frente ou para trás. A dor pode irradiar até os pés, geralmente, pior em um dos lados. A dor pode irradias para região glútea com presença de parestesia (formigamentos). O tratamento não correto ou o não tratamento pode deixar o problema mais sério e o paciente pode apresentar problemas intestinais, uroginecológicos e genitais.

As Últimas Costelas possuem íntima relação com a coluna lombar, principalmente por elas se articularem com as últimas vértebras torácicas. Os nervos que saem dessa região são responsáveis pela sensibilidade lombar, dessa forma, uma disfunção tóraco lombar pode causar dor lombar. Existe um músculo nessa região que sai da última costela e vai em direção a pelve bilateralmente, chamado quadrado lombar. Esse músculo passa por toda região lombar e sua disfunção pode gerar descompensações no corpo que geram dores na coluna lombar. Podemos desenvolver disfunções locais nas costelas, por traumas por exemplo, o que irá gerar espasmos musculares de proteção na região lombar com consequente Dor.

Os tipos de dores são: Dor aos movimentos de inclinação e rotação da coluna, dor ao respirar, dor irradiada para os glúteos, dor irradiada para região lateral e interna da perna.

Uma articulação muito importante da coluna lombar é entre a última vértebra lombar (L5) e a base do sacro (S1). Todos problemas Sacrais repercutem na coluna lombar e vice versa. Geralmente decorrente de uma queda sentado, a lesão ou bloqueio sacral é muito comum. Além da articulação entre L5-S1, existem vários músculos e ligamentos potentes que ligam o sacro a coluna lombar (ligamentos sacroilíacos, ligamentos íliolombares e fáscia tóraco lombar). Fazendo dessa região uma unidade funcional. Outra articulação importante é entre o sacro e o osso ilíaco (pelve), formando a Articulação Sacroilíaca que se articula diretamente com a região coxofemoral e torna possível problemas advindos dos membros inferiores repercutirem na coluna lombar. Existe um músculo muito importante nessa região que se chama piriforme. Ele se insere no sacro e no fêmur. Uma tensão anormal desse músculo pode irritar e comprimir o nervo ciático que passa por debaixo dele e, pode gerar dores no membro inferior sendo confundidas com as verdadeiras dores ciáticas.

Os tipos de dores são: Dor ao sentar, dor ao levantar, dor ao dobrar a coluna para frente ou para trás, dor irradiada para o glúteo e a perna.

Alguns Músculos importantes para a região lombar são: músculos profundos como multífidus e rotadores, paravertebrais, quadrado lombar e psoas. Eles permitem a relação entre as vértebras lombares e ossos da pelve como sacro e ilíaco, membros inferiores e últimas costelas. Lembrando sempre que existem vários grupos musculares na região anterior e posterior da coluna lombar que nos garante equilíbrio e estabilidade local. Os problemas musculares podem causar dores e problemas articulares em diversas regiões. Desequilíbrios musculares, principalmente do músculo psoas, podem causar problemas neurológicos pois o plexo lombar (que inerva toda região) passa dentro do ventre muscular desse músculo.

Os tipos de dores são: Dor ao realizar contrações, pressões e alongamentos musculares, dor e limitação da amplitude dos movimentos, dor irradiada para região abdominal, pélvica e dos membros inferiores.

Os Ligamentos são responsáveis pela estabilização, limitação e direcionamento dos movimentos vertebrais lombares. O tecido ligamentar, quando em disfunção, também refere dor. Os principais são o ligamento longitudinal comum posterior, ligamento amarelo, ligamento interespinhal, ligamento íliolombar, ligamento sacroilíaco e fáscia tóraco lombar. São tecidos inervados e passíveis a dor. A maioria dos problemas ligamentares são devido a traumas ou mals hábitos posturais que acabam por desequilibrar a sua tensão normal tecidual.

Os tipos de dores são: Dor aos movimentos de dobrar a coluna para frente ou para trás, dor ao caminhar, dor que passa após aquecimento da região, dor irradiada para glúteos e região femoral (trocânter), dor ao realizar alongamentos da região lombar.

Os Nervos tem grande importância nas principais sintomatologias uma vez que, são responsáveis por toda sensibilidade, contração muscular, sensação de dor e por aí vai, são responsáveis por tudo que acontece no nosso organismo. Porém, as pessoas ainda não sabem distinguir uma dor neurológica. Podem ser causadas por tensões musculares, hérnias discais, degenerações articulares...

Os tipos de dores são: Dores difusas e que deixam a pele sensível e o osso dolorido, dor em faixa e que irradia para as pernas podendo chegar até o pé acompanhada de formigamentos, dor acompanhada de posição antálgica para proteção neurológica.

Problemas Digestivos podem ser a causa de uma dor lombar. O fígado, apesar de não ser inervado pela região lombar e sim pela região torácica, apresenta relação vascular com o intestino e todas as vísceras abdominais, pois a veia porta que capta o sangue visceral, passa pelo fígado antes de ir ao coração. Problemas hepáticos alteram a vascularização abdominal causando dor lombar.

Os tipos de dores são: Dores difusas que se espalham pela coluna lombar, dor abdominal, dor cervical e dor torácica. Sintomas digestivos, hepáticos, estomacais e intestinais.

O Intestino é inervado pelos nervos da região lombar, por isso, Problemas Intestinais referem dores lombares. É muito comum dores nos membros inferiores que podem ser confundidas com ciáticas.

Os tipos de dores são: Dor contínua que agrava com constipação intestinal, dor que alivía ao evacuar, os sintomas intestinais geralmente estão associados com dores abdominais, gases, constipação e diarréia.

A região lombar é vascularizada principalmente pela artéria aorta abdominal, artérias ilíacas, veia cava inferior e veias ilíacas. Problemas Vasculares podem causar dores diretas na coluna lombar ou irradiadas, decorrentes de disfunções viscerais de origem vascular. A diminuição da nutrição tecidual acaba gerando processos isquêmicos em várias estruturas. Ossos, músculos e vísceras podem informar o problema ao sistema nervoso central gerando dores difusas.

Os tipos de dores são: Dor difusa, constante ou pulsada que pode agravar ao realizar atividade física ou realizar ingestão de medicamentos vasoativos, dor de difícil localização associada a uma sensação de cansaço e peso na região.

A bexiga, o útero e a próstata são inervados pela região lombar. Isso justifica dor na região lombar em pacientes com infecção na bexiga, problemas prostáticos e nos períodos pré menstruais. Além dessa clara relação neurológica, possuímos ligamentos nesses tecidos citados que se inserem diretamente na região lombar e sacral, podendo ser tensionados frente a um problema orgânico. Problemas Uroginecológicos geram dor lombar, SIM.

Os tipos de dores são: Dores intermitentes com períodos de agudização, pouca limitação articular, geralmente associados a problemas uroginecológicos, cistites, dores abdominais, dismenorréia, prostatites, entre outras.

Os rins são inervados por nervos que saem da região torácica baixa (T11-T12). Essa região é importante pois emerge a inervação dos dermátomos lombares. Além disso, Problemas Renais causam espasmo do músculo psoas que está localizado inferiormente aos rins, esse músculo refere dor lombar por problema muscular e pela sua vascularização alterada.

Os tipos de dores são: Dores contínuas, fortes e limitantes que estão associadas a problemas renais com sensibilidade na pele.

Insatisfação no trabalho, estresse familiar, depressão e, um viés cultural pelo alívio dos sintomas, também contribuem para cronificação da dor lombar.

Mais fotos

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Thrust na articulação sacroilíaca

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Coluna lombossacra

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Músculo Iliopsoas

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Relação entre o músculo psoas e o músculo reto do abdômen

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Nervo "ciático" irritado por compressão pelo músculo piriforme

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Relação anatômica entre o músculo piriforme e o nervo isquiático "ciático"

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Ciática específica

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Região protetora da coluna lombar

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Músculos estabilizadores

clique para ampliar