blog-1

Dores na região Dorsal

Dorsal: a região dorsal, também chamada de torácica, da coluna vertebral é composta de doze vértebras. Sua curvatura fisiológica é a cifose. Possui conexão com as escápulas e com as costelas. A medula passa em seu interior. Os nervos que se originam dessa região inervam o pulmão, coração, orgãos digestivos, rins e os músculos anteriores e posteriores do tronco.

Articulações Vertebrais - Traumas, estresse crônico, movimentos repetitivos, sedentarismo e ambiente laboral podem gerar bloqueios das articulações vertebrais levando à problemas músculo esqueléticos. As estruturas acometidas na região vertebral são a articulação facetária, disco intervertebral (articulação discal), articulação costotransversa e costovertebral. Os movimentos podem ficar bastante limitados e doloridos, é muito comum o paciente chegar em posição antálgica ao consultório (posição de alívio de dor e conforto que o corpo adota automaticamente. Um exemplo pode ser a pessoa que chega com os ombros bem desnivelados). Tais problemas articulares geram desequilíbrios de tônus de alguns músculos que se inserem nas vértebras, o que leva à uma fraqueza muscular generalizada e dores espalhadas por toda região. Disfunções vertebrais podem gerar dores nas costelas pois as mesmas se articulam com o corpo e o processo transverso das vértebras torácicas.

Os tipos de dores são: Dor constante, dor que piora com determinados movimentos, dor de cabeça, dor em escápula e dor no tórax. Dor durante a respiração e nos movimentos de rotação de tronco.

Como posso te ajudar: Existem técnicas específicas para ganho de mobilidade e melhora da tensão da região dorsal. É importante ressaltar que em caso de trauma deve ser feito exame radiológico para exclusão de possíveis fraturas.

Costelas - Traumas e quedas são as principais causas de disfunções em costelas. Elas servem como sistema de proteção de impacto (escudo) dos órgãos torácicos. É fonte geradora de dor torácica pela sua articulação com as vértebras dessa região. Lesões nessa região podem afetar também, órgãos internos, fáscias, músculos, ligamentos e nervos. O osso esterno que se articula com as costelas também pode entrar em disfunção gerando dor na caixa torácica.

Os tipos de dores são: Dor nos movimentos do tronco, dor ao respirar, dor ao contrair a musculatura torácica, dor neurológica (em faixa).

Como posso te ajudar: Existem técnicas específicas para ganho de mobilidade das costelas e melhora dos movimentos fisiológicos. A estrutura costal é mais delicada, em caso de trauma direto na costela e dor é necessário realizar exame radiológico para exclusão de possíveis fraturas.

Ligamentos - Os ligamentos da região torácica são inervados e acabam sendo acometidos quando existe alguma disfunção articular e/ou discal, pois realizam a estabilização vertebral. Eles são inervados pelo mesmo segmento vertebral. São eles: ligamento comum vertebral posterior, ligamento amarelo, ligamentos interespinhais e cápsula articular costovertebral.

Os tipos de dores são: Dor latente que começa forte e vai melhorando ao longo do dia, em repouso piora. Dor no alongamento, principalmente quando alonga o ligamento em disfunção.

Como posso te ajudar: Existem técnicas específicas para ganho de mobilidade ligamentar.

Músculos - Overuse, Newuse, traumas, vícios posturais, dentre outros podem aumentar o trabalho muscular e gerar dores na região torácica, principalmente em músculos fracos. Os principais músculos dessa região são o trapézio, rombóides, serrátil posterior superior, esplênios e paravertebrais.

Os tipos de dores são: Dor ao realizar contração, pressão ou alongamento muscular, dores irradiadas para ombro, braços, coluna lombar, coluna cervical e cabeça.

Como posso te ajudar: Existem técnicas específicas para melhora da tensão muscular e controle tônico.

Diafragma - O diafragma é um músculo importantíssimo para nossa sobrevivência. Ele quem regula a pressão dentro da caixa torácica. Está ligado ao osso esterno, as últimas costelas, vértebras lombares e região tóraco lombar. Devido sua localização, pode estar envolvido também em dores na coluna lombar. Sua inervação motora é através do Nervo Frênico (C3-C4-C5), dai a importância de disfunções à nivel cervical correlacionadas com alteração motora do Diafragma. Algumas estruturas importantes atravessam esse músculo: esôfago, aorta abdominal, veia cava inferior, nervos simpáticos, sistema linfático. Como podemos ver, nosso corpo é um só Organismo, tudo está interligado, segmentá-lo não é muito inteligente.

Os tipos de dores são: Dor ao respirar, dor em faixa na região torácica. Pode ter correlação com dores cervicais, dores de cabeça e dores interescapulares. Sensação de opressão na caixa torácica. Sintomas digestivos pela íntima relação com o fígado e estômago.

Como posso te ajudar: Existem técnicas específicas para melhora do movimento e tensão do diafragma.

Pulmões - Os pulmões são inervados pelos nervos que saem da coluna cervical mais baixa e da coluna torácica mais alta. Por isso problemas pulmonares podem referir dores na região cervical e torácica (víscerosomática). Os pulmões se inserem diretamente nas costelas, esse órgão estando com alguma disfunção ou patologia, diminui a mobilidade das costelas e consequentemente a mobilidade da caixa torácica gerando dores difusas na região. Essa rigidez altera o tônus de vários músculos que se inserem na região além de sobrecarregar diretamente o diafragma.

Os tipos de dores são: Dor contínua e limitante, sensação de "peso" no tórax e ombros. Pode piorar com exercícios físicos. Podem ter associação de sintomas pulmonares como falta de ar, tosse e secreção. Dor na região do osso esterno.

Como posso te ajudar: Existem técnicas específicas para melhora da mobilidade da caixa torácica. É muito importante procurar um Pneumologista para ter o diagnóstico e tratamento correto de patologias mais sérias.

Visceral - A inervação do esôfago se inicia nos gânglios cervicais simpáticos e termina nos gânglios láterovertebrais da região torácica (até o nível de T9) e plexo celíaco (T5 à T9). Problemas esofágicos podem referir dores da região cervical à torácica, tendo prevalência a região torácica. Normalmente as dores surgem em pessoas que possuem alguma irritação esofágica, como esofagite, causada por refluxo gastroesofágico. O estômago, parte do Esôfago, fígado, duodeno e pâncreas são invervados pelos segmentos vertebrais T5 à T9. Problema em qualquer um desses órgãos podem referir dor na região torácica que os inerva. Por exemplo, quem possui úlcera gástrica sente muita dor no meio das costas. Somente o fato do órgão não estar com a mobilidade fisiológica ideal ou até mesmo estar em sobrecarga funcional já é o bastante para ser fonte de dor nas costas, não precisa estar necessariamente com uma Patologia.

Os tipos de dores são: Dor constante que piora à noite, sono relativamente agitado. Pigarro frequente, otites, azia e dores ou dificuldade ao engolir. Pode apresentar dor no peito associada. Dor constante ou em horários específicos. Com ou sem limitação de movimento. Normalmente acompanhada de disfunções digestivas como: enjôos, gastrites, esofagites, azia, má digestão, dentre outros. Tensão em musculatura cervical e de ombros.

Como posso te ajudar: Existem técnicas específicas viscerais para melhora da mobilidade fisiológica. É muito importante procurar um Gastroenterologista para ter o diagnóstico e tratamento correto de patologias mais sérias.  

Mais fotos

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Diafragma e correlações

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Músculo Diafragma

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Ligamentos da coluna em destaque

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Engenharia anatômica

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Movimentos da coluna

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Corte sagital

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Músculos superficiais da região torácica

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Músculos espinhais intrínsecos

clique para ampliar

Dr. Gustavo Guiotti Dr. Gustavo Guiotti

Costelas e coluna torácica

clique para ampliar